domingo, 30 de novembro de 2008

MANOEL DE BARROS – POETA CONTEMPORÂNEO DO BRASIL

MANOEL DE BARROS – POETA CONTEMPORÂNEO DO BRASIL

“ NO OSSO DA FALA DOS LOUCOS TÊM LÍRIOS “

- HOMENAGEM AOS SEUS 93 ANOS : 19 DE DEZEMBRO 2008 -

MANOEL DE BARROS – POETA CONTEMPORÂNEO DO BRASIL-

UM SABIÁ CUJA POESIA ENLOUQUECE A LÍNGUA PORTUGUESA:

MANOEL DE BARROS – POETA CONTEMPORÂNEO DO BRASIL
“ NO OSSO DA FALA DOS LOUCOS TÊM LÍRIOS “
- HOMENAGEM AOS SEUS 93 ANOS : 19 DE DEZEMBRO 2008 -

BIOGRAFIA:
Nasceu em 19 de dezembro de 1916, em Cuiabá, Mato Grosso-Brasil, de nome Manoel
Wenceslau Leite de Barros. Atualmente mora em Campo Grande- Mato Grosso do Sul,
no bairro Jardim dos Estados. É advogado, fazendeiro e poeta. Formou-se bacharel de Direito,
no Rio de Janeiro, em 1941.
É casado com com Stella e tem três filhos: Martha , Pedro e João.
Viveu na Bolívia e no Peru, morou também em Nova York por um ano, onde estudou cinema
e pintura.
Em entrevista disse: “ Exploro os mistérios irracionais dentro de uma toca que chamo “ lugar
de ser inútil”.
BIBLIOGRAFIA :
POEMAS CONCEBIDOS SEM PECADO ( 1937); FACE IMÓVEL (1942); POESIAS (1956); COMPÊNDIO PARA USO DOS PÁSSAROS (1960); GRAMÁTICA EXPOSITIVA DO CHÃO (1966); MATÉRIA DE POESIA (1974); ARRANJOS PARA ASSOBIO (1982); LIVRO DE PRÉ-COISAS (1985- Ilustração da capa: Martha Barros); O GUARDADOR DAS ÁGUAS ( 1989); POESIA QUASE TODA (1990); CONCERTO A CÉU ABERTO PARA SOLO DE AVES (1991); O LIVRO DAS IGNORÃNÇAS ( 1993); LIVRO SOBRE NADA ( 1996- Ilustrações: Wega Nery); RETRATO DO ARTISTA QUANDO COISA ( 1998- Ilustração: Millor Fernandes ); EXERCÍCIOS DE SER CRIANÇA (1999); ENSAIOS FOTOGRÁFICOS (2000); O FAZEDOR DE AMANHECER (2001); POEMINHAS PESCADOS NUMA FALA DE JOÃO ( 2001); TRATADO GERAL DAS GRANDEZAS DO ÍNFIMO ( 2001- Ilustração: Martha Barros); MEMÓRIAS INVENTADAS – A INFÂNCIA ( 2003 – Ilustração: Martha Barros); CANTIGAS PARA UM PASSARINHO Á TOA (2003 – Ilustração: Martha Barros); POEMAS RUPESTRES ( 2004 – Ilustração: Martha Barros ); MEMÓRIAS INVENTADAS I ( 2005); MEMÓRIAS INVENTADAS II ( 2006);

SONETO DA DISTANTE AMADA - VANDA LÚCIA DA COSTA SALLES – POETA DO BRASIL

SONETO DA DISTANTE AMADA

VANDA LÚCIA DA COSTA SALLES – POETA DO BRASIL

Esqueceste a nossa canção?
Segue amena, no turbilhão da noite
Ó ingrata, como pode? Como consegue?
============
Se a poesia era quem regava nosso jardim
E nossos olhos, enfim, enxergavam além do dia
O que ninguém mais conseguia...
============
Rodopiávamos como crianças... Lindos! Soltos!
Acariciando todos os sonhos que imaginávamos haver
Mas de repente, enregelados, perdidos...
Nos encontrávamos, sem um porquê.
===========
Ah! Distante amada e do meu olhar tão longe
A embrutecer toda a saudade dos nós sem fim
Na madrugada triste da noite fria
Que ainda gela, gela, dentro de mim!

sábado, 29 de novembro de 2008

ANTÓNIO GONÇALVES – POETA DE ANGOLA

A ÁFRICA QUE OBSERVO COM OS DEDOS
ANTÓNIO GONÇALVES – POETA DE ANGOLA

1
A África que observo com os dedos
não é igual àquela que os meus pés ouviram.
Mas continua a produzir ancas secularmente
piramidáis, para pasto e repasto de abutres
intemporais.
2
A África que observo com os dedos
e transporto no olhar, já não usa sandálias
de pele de gibóia, para encantar as kalumbas
do meu tempo. Ela bóia diariamente
em panos garridos de garras ocidentalizadas.
3
A África que observo com os dedos
e nela pouso os meus lábios —Reparo
que não sou eu que a sugo, quando
a vejo gemer entre mãos expansionistas
4
A África que observo com os dedos
deixa-me o cheiro do Nilo na epiderme
e na derme o gosto a pirão azedo.
Mas, ainda respiro as suas marcas púrpuras
como déndém fresco...
5
A África que observo com os dedos
quando acorda, deita uma luz abrasadora
que me acaricia no início de cada jornada.
(Aí o seu charme apaziguador, na dor diária
dos meus irmãos famintos, como eu...)
6
A África que observo com os dedos
África de N’Krumah, Lumumba, Neto e Cabral
foi nascente e será, foz, a réstia continental
que restará do holocausto da nossa
podridão mental. E renascerás ó África!
Então, observar-te-ei não com os dedos
mas com as mãos e o cérebro...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

CUTI ( LUIS SILVA CUTI )- POETA BRASILEIRO CONTEMPORÃNEO

MAMICE CUTI ( LUIS SILVA CUTI )- POETA BRASILEIRO CONTEMPORÃNEO

Sou daqueles
Que cobram o leite
Derramando.
Vovó que era vaca
Morreu
Seca
E seus bezerros brancos
Agora touros desmamados
Ainda procuram tetas
Para seus rebentos viciados
Sou daqueles
Que cobram o leite
Derramado

E não aceito esmola

Do que me foi roubado.

Livro: "O CHAMADO DAS MUSAS" - Editado em Argentina

Taller Artístico "Alas Rotas- Alitas de América"

PRESENTA:
LIVRO : "O CHAMADO DAS MUSAS"
PÔ-ÉTICA HUMANA: o enigma do recheio
- a arteterapia ao sabor da educação brasileira.

AUTORES: VANDA LÚCIA DA COSTA SALLES
SILVIA AIDA CATALÁN
EDITORIAL: CREADORES ARGENTINOS

ISBN 978-987-1377-40-4

CDD 615.851 56

Fecha de catalogación: 04/12/2008

Buenos Aires - Argentina

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

ÉLE SEMOG - pseudônimo de Luis Carlos Amaral Gomes-POETA DO BRASIL

ELA FAZ, EU DESFAÇO
ÉLE SEMOG - POETA BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO
A treze de maio
Fica decretado
Luto oficial na
Comunidade negra
E serão vistos
Com maus olhos
Aqueles que comemorarem
Festivamente
Esse treze inútil. E fica o lembrete
Liberdade se toma
Não se recebe
Dignidade se adquire
Não se concebe.

JOÃO DA CRUZ E SOUSA– POETA DO BRASIL

SORRISO INTERIOR

CRUZ E SOUSA
“ O ser que é ser e que jamais vacila
Nas guerras imortais entra sem susto,
Leva consigo este brasão augusto
Do grande amor, da grande fé tranqüila.
Os abismos carnais da triste argila
Ele os vence sem ânsias e sem custo...
Fica sereno, num sorriso justo,
Enquanto tudo em derredor oscila.
Ondas interiores de grandeza
Dão-lhe esta glória em frente à Natureza
Esse esplendor, todo esse largo eflúvio.
O ser que é ser transforma tudo em flores...
E para ironizar as próprias dores
Canta por entre as águas do Dilúvio!”

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

20 DE NOVEMBRO - DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA NO BRASIL- PROF. VANDA LÚCIA DA COSTA SALLES

Prof. Vanda Lúcia Da Costa Salles
20 DE NOVEMBRO - DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA NO BRASIL
-JOÃO DA CRUZ E SOUSA-

Nasceu na Província de Santa Catarina, em 24 de novembro de 1861.

Filho de escravos alforriados, criado por uma família que muito o estimulou

nos estudos e leitura de bons livros, tornou-se poeta e jornalista.

Em toda sua obra, sempre deixava transparecer a angústia provocada pelo regime escravocrata. Sua poesia, revestida de emoção intensa, na fase inicial refletia o espírito parnasiano.

É considerado o precursor do Movimento Simbolista e um dos maiores poetas da literatura de língua portuguesa e do simbolismo internacional.

Em 1883 foi recusado como promotor de Laguna por ser negro.

No ano de 1885, entrou para o jornalismo, fundando o jornal “ O Moleque”. `

Nesse mesmo ano, lança o livro intitulado “ Tropos e Fantasias”, escrito em parceria com Virgílio Várzea.

Posteriormente, transferiu-se para o Rio de Janeiro onde se tornou membro
do jornal “ Folha Popular”.

Sofreu muito, por ser filho de escravos.
Por esse motivo sua poesia se reveste de tristeza profunda.
Relatava os fatos de sua vida com uma originalidade capaz de sensibilizar a
quantos deles tomassem conhecimento.

Casou-se com Gavita Gonçalves, também negra com quem tem quatro filhos .

Todos mortos prematuramente por tuberculose.
Este fato e a profunda pobreza levou-a a loucura.

Últimos Sonetos ( 1905), Antífona e Broqueis (1898).

Faleceu em 19 de março de 1898, na cidade de Sítio ( MG), para onde fora levado
às pressas vencido pela tuberculose.
Tem o seu corpo transportado para o Rio de Janeiro em um vagão destinado ao
transporte de cavalos.
Alguns amigos fizeram o seu sepultamento, entre eles, o poeta José do Patrocínio.

Conhecido como Dante Negro ou Cisne Negro.João da Cruz e Sousa, proporcionou
ao Brasil obras que vieram enriquecer a literatura Brasileira.

=====================================================================

Noticias del Frente Ecologico 030

Uno de cada cuatro hombres que abusan de mujeres es psicópata, según experto – EFE,

Domingo 23 de Noviembre del 2008

Juventud de Guachupita se moviliza en Día de la No Violencia contra la Mujer – COPRESIDA

Intercambio de Disparos y Derecho a la Vida. – Tahira Vargas.

20 DE NOVIEMBRE - DIA DE LA CONCIENCIA NEGRA EN BRASIL - Por: Prof. Vanda Lúcia

Da Costa Salles, 20 de Noviembre de 2008

Acción Contra el Hambre pide a Al Gore usar su influencia para cambiar la conciencia mundial

sobre la desnutrición – Por: MARTA ARROYO, "El Mundo"

Vidas vividas en riesgo (invitación) - AcciónPositiva

E. ANTONIO DE MOYA

Asesor de Investigación & Desarrollo

Consejo Presidencial del SIDA - COPRESIDA

http://www.copresida.gob.do/

http://epistheme-tonydemoya.blogspot.com/2008/11/noticias-del-frente-ecologico-030.html