sexta-feira, 19 de junho de 2009

SONETO DA DISTANTE AMADA - VANDA LÚCIA DA COSTA SALLES – POETA DO BRASIL

VANDA LÚCIA DA COSTA SALLES – POETA DO BRASIL DIRETORA T.A.A.R-BRASIL

SONETO DA DISTANTE AMADA

Esqueceste a nossa canção?

Segue amena, no turbilhão da noite

Ó ingrata, como pode? Como consegue?

=========================

Se a poesia era quem regava nosso jardim

E nossos olhos, enfim, enxergavam além do dia

O que ninguém mais conseguia...

==========================

Rodopiávamos como crianças... Lindos! Soltos!

Acariciando todos os sonhos que imaginávamos haver

Mas de repente, enregelados, perdidos...

Nos encontrávamos, sem um porquê.

=============================

Ah! Distante amada e do meu olhar tão longe

A embrutecer toda a saudade dos nós sem fim

Na madrugada triste da noite fria

Que ainda gela, gela, dentro de mim!