quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

HOMENAGEM A THIAGO DE MELO-POETA DO BRASIL‏- Envío de la Prof.Vanda Lúcia Da Costa Salles- Diretora T.A.A.R - Brasil

HOMENAGEM A THIAGO DE MELO-POETA DO BRASIL‏
De: Vanda L�cia Da Costa Salles (alas_rotas_brasil@hotmail.com) Enviado: lunes, 01 de diciembre de 2008 05:22:53 a.m. Para: Silvia Aida Catalán (alas_rotas_argentina@hotmail.com)

Thiago de Mello nació en Barreirinha, Brasil, en el corazón de la Selva Amazónica, en 1926

82 ANOS - NOSSA HOMENAGEM A : THIAGO DE MELLO - POETA DO BRASIL
Amadeu Thiago de Mello, nasceu em 30 de março de 1926, na cidade de Barreirinha, no
Amazonas-Brasil. É conhecido internacionalmente pela luta em prol dos Direitos Humanos, pela
Ecologia e pela Paz mundial.
POESIA:

Os Estatutos do Homem (Ato Institucional Permanente) Thiago de Mello A Carlos Heitor Cony

Artigo IFica decretado que agora vale a verdade.agora vale a vida,e de mãos dadas,marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo IIFica decretado que todos os dias da semana,inclusive as terças-feiras mais cinzentas,têm direito a converter-se em manhãs de domingo.

Artigo IIIFica decretado que, a partir deste instante,haverá girassóis em todas as janelas,que os girassóis terão direitoa abrir-se dentro da sombra;e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,abertas para o verde onde cresce a esperança.

Artigo IVFica decretado que o homemnão precisará nunca maisduvidar do homem.Que o homem confiará no homemcomo a palmeira confia no vento,como o vento confia no ar,como o ar confia no campo azul do céu.

Parágrafo único:

O homem confiará no homemcomo um menino confia em outro menino. Artigo VFica decretado que os homensestão livres do jugo da mentira.Nunca mais será preciso usara couraça do silêncionem a armadura de palavras.O homem se sentará à mesacom seu olhar limpoporque a verdade passará a ser servidaantes da sobremesa.

Artigo VIFica estabelecida, durante dez séculos,a prática sonhada pelo profeta Isaías,e o lobo e o cordeiro pastarão juntose a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.

Artigo VIIPor decreto irrevogável fica estabelecidoo reinado permanente da justiça e da claridade,e a alegria será uma bandeira generosapara sempre desfraldada na alma do povo.

Artigo VIIIFica decretado que a maior dorsempre foi e será semprenão poder dar-se amor a quem se amae saber que é a águaque dá à planta o milagre da flor.

Artigo IXFica permitido que o pão de cada diatenha no homem o sinal de seu suor.Mas que sobretudo tenhasempre o quente sabor da ternura.

Artigo XFica permitido a qualquer pessoa,qualquer hora da vida,uso do traje branco.

Artigo XIFica decretado, por definição,que o homem é um animal que amae que por isso é belo,muito mais belo que a estrela da manhã.

Artigo XIIDecreta-se que nada será obrigadonem proibido,tudo será permitido,inclusive brincar com os rinocerontese caminhar pelas tardescom uma imensa begônia na lapela. Parágrafo único:Só uma coisa fica proibida:amar sem amor.

Artigo XIIIFica decretado que o dinheironão poderá nunca mais compraro sol das manhãs vindouras.Expulso do grande baú do medo,o dinheiro se transformará em uma espada fraternalpara defender o direito de cantare a festa do dia que chegou.

Artigo FinalFica proibido o uso da palavra liberdade,a qual será suprimida dos dicionáriose do pântano enganoso das bocas.A partir deste instantea liberdade será algo vivo e transparentecomo um fogo ou um rio,e a sua morada será sempreo coração do homem. ( In: FAZ ESCURO MAS EU CANTO, pág. 60 )